Publicado em Deixe um comentário

A Libido é muito mais do que você imagina!

É importante ressaltarmos que libido é definida como a energia criada pelos instintos de vida, e que estes instintos são aqueles que interferem com a sobrevivência básica, com o prazer e com a reprodução. Podemos citar como exemplos de comportamentos associados com o instinto de vida o amor, a cooperação e outras ações pró-sociais. Então a sexualidade é apenas uma classe destes instintos de vida, ou seja, é apenas uma parcela do que é a libido. Assim, podemos dizer que a libido está presente na nossa vontade de viver.

Precisamos sim prestar atenção em nossa libido, mas não apenas numa vertente sexual, temos que pensar na totalidade desse termo. Precisamos sentir que somos importantes, que somos reconhecidas, que somos desejadas e que temos prazer em desejar, precisamos nos sentir parte da comunidade e ter projetos importantes em nossas vidas.

Do ponto de vista fisiológico, o que gera a libido é a ação conjunta de hormônios responsáveis pela nossa sensação de bem estar, os quatro hormônios principais nesse processo são: dopamina, serotonina, endorfina e ocitocina. A dopamina é conhecida como o hormônio do prazer e da ação, sua principal função é ativar o sistema de recompensa do nosso cérebro e é responsável pelas sensações de prazer. A serotonina atua regulando o humor, o sono, o apetite, o ritmo cardíaco, a temperatura corporal, a sensibilidade e as funções intelectuais. A endorfina apresenta uma potente ação analgésica e ao ser liberada estimula a sensação de bem-estar, conforto, humor e alegria, é uma grande aliada do orgasmo pois potencializa a ação da dopamina. Já a ocitocina é conhecida como o hormônio do amor, do vínculo, do abraço, do contato, sendo de grande ajuda na construção de confiança nas relações.

Alterações nos níveis desses hormônios costumam contribuir para sentimentos de fadiga, falta de motivação, alterações de humor, irritabilidade, ansiedade, depressão e até mesmo comportamentos viciantes. Por isso é importante que todos esses hormônios estejam presentes em níveis adequados em nosso organismo. Felizmente podemos potencializar a produção harmônica desses hormônios com medidas simples: fazendo atividades físicas regularmente, tomando sol, aderindo a uma alimentação equilibrada, nos cercando de pessoas interessantes e agradáveis, distribuindo abraços e risadas. Ao longo de nossas vidas é natural haver aumentos e diminuições da libido. As causas para isso podem ser orgânicas, psicológicas, químicas ou mesmo uma combinação de diferentes motivos. Mas, caso esta seja uma preocupação persistente que lhe cause alguma angústia, vale a pena conversar com um profissional médico de confiança. Sua libido pode estar diminuindo em função de algo comum como o estresse ou o método de contracepção que você utiliza. Mas também pode ser sinal de um problema de saúde maior. O ginecologista ou o endócrino são as primeiras opções para a maioria das mulheres.

Você já pensou no que pode começar a fazer para aumentar ainda mais sua energia de vida?

Não esqueça de deixar seu comentário